sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Om Gam Ganapataye Namaha

Este mantra é um dos mais conhecidos no hinduísmo e fácil de pronunciar. É uma invocação a Ganapati (outro nome de Ganesha) e serve para remover os obstáculos, tanto materiais como espirituais. Este mantra atua muito rápido, vale a pena experimentar.



Agora, um pouco mais sobre essa divindade chamado Ganesha!

Ganesha é um dos personagens mitológicos mais populares da Índia. É considerado o destruidor dos obstáculos ao desenvolvimento espiritual e material, permitindo aos seus devotos alcançar as riquezas e assegurando o êxito em todos os empreendimentos, por isso é a primeira divindade reverenciada em todos os rituais hindus.

Ganesha é o Mestre do Conhecimento, da Inteligência e da Sapiência. É aquele que proporciona a potência espiritual e a inteligência suprema. É o grande removedor dos obstáculos, Guardião da Riqueza, da Beleza, da Saúde, do Sucesso, da Prosperidade, da Graça, da Compaixão, da Força e do Equilíbrio.


Ganesha pertence à família de deuses mais populares do Hinduísmo. Ele é o filho mais velho de Parvati e Shiva. Ganesha tem uma enorme cabeça de elefante, imensa para um corpo de menino indicando sua capacidade intelectual e a firme dedicação ao estudo das escrituras. 

Ganesha é o Sábio. Ganesha tem na fronte o Vibhuti e um pequeno tridente indicando que é filho de Shiva - o Senhor da disciplina e da aniquilação da ignorância, indica também, que o sábio tem sempre em mente o Ser Supremo.




As enormes orelhas e a cabeça de elefante representam os dois primeiros passos para a auto realização - “Sravanam”, escutar o ensinamento e “Mananam”, refletir sobre ele. A tromba representa “Viveka”, a capacidade de discriminação entre Nitya, o eterno e ilimitado, e Anitya, o não eterno. O intelecto do homem comum está sempre preso entre os pares de opostos (as presas), o Sábio não é mais afetado por esses pares de opostos (frio-calor, prazer-dor, alegria-tristeza, etc.) tendo atingido um estado de equanimidade, representado por uma das presas quebrada. O Sábio nunca esquece sua verdadeira natureza (memória de elefante). A barriga enorme representa sua capacidade de engolir, digerir e assimilar todos os obstáculos, assim como o ensinamento escutado. O ratinho que fica aos seus pés simboliza o Ego e seus desejos com sua voracidade e cobiça, frequentemente roubando mais do que pode comer e guardando mais do que pode lembrar. 

O Sábio tem o desejo sob total controlo, por isso o ratinho olha para cima e aguarda sua permissão para comer os objetos dos sentidos. A cabeça de Ganesha simboliza o Atman ou a alma, que é a suprema realidade da existência humana, e seu corpo humano representa Maya, ou a existência terrena dos seres humanos. A cabeça de elefante indica sabedoria e seu tronco representa Om, o símbolo de som da realidade cósmica. Na mão direita superior Ganesha tem um aguilhão, que ajuda a impulsionar a humanidade para a frente no caminho eterno e eliminar os obstáculos do caminho. A corda na mão esquerda de Ganesha é um delicado instrumento para captar todas as dificuldades. A presa quebrada de Ganesha, que tem como uma caneta na mão direita inferior é um símbolo de sacrifício, que partiu para escrever o Maha-bharata.

O rosário na mão de outros autores sugere que a busca do conhecimento deve ser contínuo. O lado (doce) que detém no seu tronco indica que é preciso descobrir a doçura do Atman. A serpente que corre em volta de sua cintura representa a energia em todas as formas. A mão inferior esquerda oferece Modaka que é um doce de leite e arroz tostado que representa a satisfação, a plenitude que se alcança com um caminho de disciplina e auto-conhecimento.


Fonte: http://www.curaeascensao.com.br/
Imagem: Imagens google

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

15 de agosto "Dia Internacional do Reiki"

“A missão do Usui Reiki Ryoho é guiar para uma vida pacífica e feliz, curar os outros, melhorar a felicidade dos outros e de nós mesmos.” - Mikao Usui

Passados 149 anos temos tudo a agradecer àquele a quem chamamos Mestre. Mikao Usui deu origem ao Usui Reiki Ryoho, o método de cura natural Usui. Um método que visa o crescimento pessoal, rumo à felicidade, através da prática de cinco princípios e autotratamento. Este método é também virado para os outros, como terapia complementar.
Se em 1925 a escola se encontrava em Nakano, hoje temos Reiki em todo o Mundo.
De uma forma simples, com as mãos em gassho, repetindo de manhã e à noite, os princípios que nos levam à transformação, o Usui Reiki Ryoho indica-nos o caminho para a felicidade, para uma vida de paz duradoura e de amor incondicional. O coração é o nosso centro mas não pode trabalhar sem uma mente presente. Reiki trabalha em todas as nossas dimensões e por isso traz-nos tantas transformações.
Hoje, 149 anos depois, encontramos Reiki nos hospitais, nos lares, em centros de apoio à pessoa com deficiência. Mais que tudo, Reiki está nos nossos corações, em cada vez mais praticantes. Se cada um se mudar verdadeiramente, o mundo mudará bem mais depressa.

Quando olhamos para o Kanji do Reiki e compreendemos a sua construção, temos outras perspectivas sobre o seu significado, sobre o porquê da escolha deste nome “Reiki” para uma energia que está em todo o lado e que nos harmoniza.
O kanji Reiki é composto por vários outros kanjis, um dele é Ame, que significa chuva. Do céu vem para a terra a água que traz alegria e crescimento às colheitas e aos povos.

A bênção que vem do céu como a chuva – o Reiki

Reiki é energia que está disponível em todo o lado, para qualquer pessoa. É a vitalidade que nos anima. Esta energia, sentimos entrar pelo chakra da coroa, o chakra que faz a ligação com a energia céu, a energia que vem de cima, como a chuva. Num dos seus poemas, o Imperador Meiji reflecte sobre o seu povo e a vida que levam:
Penso acerca
Da vida do povo
Como eles vivem
Vem a chuva
Vem o Sol
São os ciclos da vida que chegam a todos. A uns trará beneces, a outros avisos. Para uns será catastrófico, para outros fértil. São reflexões sobre os ciclos da vida, que todos passamos. O Reiki traz-nos também esses ciclos. A energia transborda o que está mal em nós para que saia e possa dar espaço ao que precisamos para estar bem. A chuva traz-nos uma reflexão profunda sobre o Reiki e sobre nós mesmos.


Advertência à prática

A chuva traz-nos também advertências. Se não cuidarmos do planeta, as enxurradas ou a ausência de água fazem-se sentir. Sendo o Reiki como a água que vem do céu, o Imperador Meiji lança-nos uma advertência no seu poema 104, a água:
Que pena
Apesar da fonte
Ser pura e clara
A água torna-se suja
Quando flui por um riacho poluído
A nossa prática, o autotratamento, deve ser constante, para que possamos limpar o canal energético e assim o Reiki fluir sem obstáculos. Devemos também trabalhar a nossa mente e coração, com os cinco princípios pois de pouco adianta a prática se não transformamos e elevamos a consciência. Para que nos possamos preencher de felicidade, temos que nos esvaziar das questões e pesos que carregamos. A reflexão nos princípios é um passo importante para a mudança.

Por: João Magalhães - Designer, Mestre de Reiki e Presidente da Associação Portuguesa de Reiki. Desenvolve um projecto intitulado o Tao do Reiki, para Descobrir, Desenvolver e Crescer com o Reiki. É também um empreendedor social, acredita na capacidade que cada um tem para auxiliar a transformar a sua comunidade.